O amor não morre. Ele cansa-se muitas vezes.

Amor

O amor não morre!

O amor não morre. Ele cansa-se muitas vezes.

O amor não morre. Ele cansa-se muitas vezes. Ele refugia-se em algum recanto da alma tentando esconder-se do tédio que mata os relacionamentos. Não é preciso confundir fadiga com desamor.

O amor ama. Quem ama, ama sempre. O que desaparece é a musicalidade do sentimento. A causa? O quotidiano, o fazer as mesmas coisas, o facto de não haver mais mistérios, de não haver mais como surpreender o outro.

São as mesmices: os mesmos carinhos, as mesmas palavras, as mesmas horas…

O outro já sabe! Falta magia. Falta o inesperado. O facto de não se ter mais nada a conquistar mostra o fim do caminho. Nada mais a fazer. Muitas pessoas acomodam-se e tentam concentrar-se em outras coisas, actividades que muitas vezes não têm nada a ver com relacionamentos.

Outras procuram aventuras. Elas querem, a todo custo, se redescobrir vivas, querem reencontrar o que julgam perdido: o prazer da paixão, o susto do coração batendo apressado diante de alguém, o sono perdido em sonhos intermináveis e desejos infinitos.

Não é possível uma vida sem amor. Ou com amor adormecido. Se amas alguém, desperta o amor que dorme!

Vez ou outra, faz algo extraordinário. Faz loucuras, compra flores, ofereçe um jantar, põe um perfume novo…

Não permitas que o amor durma enquanto estás acordado sem saber o que fazer da vida.

Reconquista! Acredita: reconquistar é uma tarefa muito mais árdua do que conquistar, pois vai exigir um esforço muito maior. Mas… sabes uma coisa?

Vale a pena! Vale muito a pena!

Fonte: O segredo

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 The Mag Theme. Theme by MVP Themes, powered by Wordpress.

To Top