“E ao contrário do que se diz acredito que as memórias podem mudar sim, elas mudam consoante a nossa percepção da realidade. Manipulamo-las de acordo com as nossas emoções.”

Contos

Já não és capaz de aquecer-me o coração!

“E ao contrário do que se diz acredito que as memórias podem mudar sim, elas mudam consoante a nossa percepção da realidade. Manipulamo-las de acordo com as nossas emoções.”

“E ao contrário do que se diz acredito que as memórias podem mudar sim, elas mudam consoante a nossa percepção da realidade. Manipulamo-las de acordo com as nossas emoções.”

Não precisamos de apresentações formais assim como eu sei quem és tu, igualmente, conheces-me tão bem. Contudo, sinto-me na obrigação de retratar-me por todo e qualquer dano que tenha-te causado.

Estou contigo desde sempre, mesmo depois daquele adeus que não chegou a ser dito. Bem sei o quanto anseias esquecer-me.
Desculpa-me pelas inúmeras vezes que não fui capaz de ficar no meu lugar e escorri-te pelo rosto. Às vezes, apenas passava por ti e tu cheiravas-me em outro alguém.

Aparecia-te em uma sequência de imagens e fazia-te voltar a reviver momentos outrora eternos que tiveram o seu fim precoce, que com tudo isso têm e devem ser esquecidos.

Em cada rosto e em cada sorriso encontravas o melhor de mim e, desesperadamente, abanavas a cabeça para não cair caíres em outra ilusão.

Essa é quem sou, sou uma memória não sei se gasta ou simplesmente cansada de ser lembrada.
Aquele cheiro, sim o teu cheiro é-me agora confuso. É como que uma fragrância no meio de tantas outras que já não sou capaz de distinguir.

O teu sorriso e o teu olhar, que com tanto carinho eu prezava, encontrei-os no meio de uma reles multidão e tornei-me indiferente a ambos. Sou como que uma fogueira, deixaste-me sem lenha e eu, para restabelecer o equilíbrio natural esperado, apaguei. Afinal de contas não sou apenas uma memória cansada …

E ao contrário do que se diz acredito que as memórias podem mudar sim, elas mudam consoante a nossa percepção da realidade. Manipulamo-las de acordo com as nossas emoções. E, muitas vezes, usei-as para fazer festinhas ao meu ego.

Já não és capaz de aquecer-me o coração, já não és capaz de roubar-me um sorriso, já não choro por ti, nem mesmo penso em ti … nada mais és do que uma mera memória morta.

(Source: Carla Amaro)

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 The Mag Theme. Theme by MVP Themes, powered by Wordpress.

To Top