“Não há bem que para sempre dure, nem mal que nunca se acabe”.

Signos

Astrologia para Outubro de 2016

“Não há bem que para sempre dure, nem mal que nunca se acabe”.

“Não há bem que para sempre dure, nem mal que nunca se acabe”.

Começo desta forma porque uma das principais mudanças que ocorre durante este mês de Outubro é o enfraquecimento da quadratura entre Saturno em Sagitário e Neptuno em Peixes. As únicas “contas” a fazer, é que aquilo que verdadeiramente conta, fica e é mensurável, são os nossos Esforços. Como nos esforçámos para corrigir os nossos erros, falhas, para ultrapassar os nossos medos, superar obstáculos, e que aprendizagem ficou de tanto Sacrifício. Sei bem que por muitas vezes faço referência, e repito, esta necessidade de compreendermos a importância que têm os nossos esforços porque, é apenas através deles que seremos bem-sucedidos por entre os insucessos (recomendo a leitura do artigo “O que contam são os nossos Esforços”).

Os trânsitos planetários marcam pequenas partes de processos que são longos. Marcam períodos concretos na nossa vida, mas a aprendizagem resultante das experiências que proporcionam durante esses períodos transcende os timings dos trânsitos. E por essa razão, mais do que nos preocuparmos em lançar foguetes porque finalmente vamo-nos ver livres da quadratura Saturno/Neptuno (até porque isso seria uma ilusão), trata-se de nos esforçarmos (novamente) por integrar na nossa Consciência os ensinamentos que proporcionaram.

Conforme tínhamos visto, já durante o mês de Setembro, verifica-se uma redução da mutabilidade e uma maior concentração de planetas em signos cardeais e fixos (nomeadamente Balança, Escorpião e Capricórnio). A energia cardeal estimula a iniciativa e o foco da energia passa a estar direccionado para as motivações que estão na base de novas decisões. Por isso passamos de uma energia mais dispersa, para outra mais objectiva e motivacional.

Esta alteração afecta igualmente o posicionamento de Saturno em Sagitário e Neptuno em Peixes (ambos em signos mutáveis) uma vez que temos Júpiter, regente de ambos os planetas, a transitar desde o dia 9 de setembro pelo signo da Balança. Ao longo de muitos meses, à medida que ingressavam em Gémeos e Virgem, os planetas pessoais activaram de forma muito intensa a tensão vivida entre Saturno e Neptuno, e muitos de nós sentiram na pele o esforço que isto representou, a desordem e a confusão nas suas vidas.

O último planeta a transitar por Virgem é Mercúrio. Após um longo período em domicilio, por onde transitou retrógrado até ao dia 22 de Setembro, ingressa em Balança a 7 de Outubro onde permanece até ao dia 24. Até ao dia 22 teremos 3 planetas em Balança – Mercúrio, Sol e Júpiter – a trazerem-nos a oportunidade de nos abrirmos aos outros, e de, através do encontro empático com a vida, respirar um pouco de paz e harmonia.

Durante o posicionamento em Virgem preocupámo-nos em trabalhar falhas, em procurar encontrar alguma ordem por entre o caos, em desenvolver métodos e ferramentas que ajudassem a aprimorar e a aperfeiçoar o nosso modo de viver, a optimizar e a rentabilizar os nossos recursos dentro das limitações que (mesmo sem disso termos consciência) criámos nas nossas próprias vidas. Com a passagem por Balança pensamos agora em procurar algum equilíbrio, em compreender o que para nós tem valor, queremos e podemos partilhar com os outros. Entrar no pensamento qualificado, aquele que permite atribuir valor às experiências que atraímos e apreciar a beleza existente na vida.

Procuramos partilhar os frutos do nosso trabalho e procuramos gerar, através do nosso pensamento, a força de atração que nos permite fazer pontes com o ambiente que nos rodeia. Estamos mentalmente mais despertos para pensarmos em espelho, com maior atenção à qualidade das nossas palavras, da nossa comunicação porque a qualidade de tudo isto terá reflexos em tudo com o qual estabelecemos relação. Mercúrio faz conjunção a Júpiter de 10 a 13 de Outubro, ampliando o nosso entendimento sobre os dois lados da balança, que em muito beneficiaremos se conseguirmos negociar e receber as opiniões e inputs dos outros. Talvez tenhamos que pensar além-fronteiras, de pensarmos de forma justa e equilibrada, e encontrarmos um denominador comum através do qual nos possamos entender mutuamente, por entre crenças, dogmas e orientações filosóficas.

A partir do dia 18 de Outubro Vénus ingressa em Sagitário estabelecendo uma Recepção Mútua com Júpiter em Balança com o qual faz sextil entre o dia 24 e 29. Esta é uma relação que intensifica os benefícios que podem advir das parcerias e da partilha, permite igualmente expandir aquilo que damos e recebemos nas nossas relações, acreditar na nossa sorte e aventurarmo-nos e explorarmos a nossa fé no outro. Simultaneamente Vénus faz quadratura a Neptuno em Peixes, trazendo uma dificuldade em avaliar e distinguir de forma clara e objectiva as verdadeiras intenções implícitas em ambas as partes. Logo a seguir Vénus faz conjunção a Saturno (de 29 a 1 de Novembro) e caímos na real, apercebemo-nos que com os benefícios vêm as responsabilidades, e tomamos noção que existem limites ao que desejamos obter através do outro.

Mas esta procura por encontrar um pouco de equilíbrio ente as exigências e os benefícios terá muitos desafios ao longo do mês de Outubro. Esta Consciência e formas de pensar mais diplomáticas e sinérgicas entram em conflicto com a necessidade de romper radicalmente com qualquer tipo de limitação e restrição, e teremos que usar muito da nossa capacidade de análise e diálogo para ponderar e conseguir colocar em cada prato da balança aquilo que queremos manter e aquilo que teremos, inevitavelmente, de perder (Sol e Mercúrio em Balança fazem oposição a Úrano em Carneiro de 13 a 17 e de 19 a 21, respectivamente, e quadratura a Plutão em Capricórnio de 5 a 9 e de 15 a 17, respectivamente). Seremos forçados a decidir que compromissos queremos assumir e que parcerias queremos quebrar.

Plutão em Capricórnio será o Apex deste T-square entre a oposição que Úrano em Carneiro faz com o Sol em Balança no dia 15, e com Mercúrio em Balança no dia 20. Isto quer dizer que estará exactamente no ponto médio da oposição nestas 2 datas. Nele ir-se-á concentrar a dificuldade entre romper radicalmente através da guerra, ou ponderar e negociar os interesses de ambas as partes de forma diplomática. Na pior das hipóteses abdicamos de ceder em alguma parte, mantendo uma obsessão cega por garantir o controle das circunstâncias, destruindo qualquer hipótese do acordo que permite a introdução de pequenas mudanças que sejam mais justas e equilibradas.

Pela positiva, é a energia por excelência da “reforma”, a que permite aprofundar o melhor que pode existir quando pomos mais que uma cabeça a pensar e libertamo-nos do medo que essas mudanças podem provocar, até porque “duas cabeças pensam melhor que uma”. Se estivermos dispostos a isso, vemos que afinal não morremos por sair da nossa rigidez autoritária, e assim permitimo-nos pensar no lugar do outro partilhando as nossas ideias e, em conjunto, encontrarmos formas alternativas para resolver os problemas. Afinal, “é a conversar que a gente se entende”. Só assim teremos o verdadeiro poder de reestruturar as nossas prioridades na vida e hierarquizar o que precisa de mudança urgente.

Marte continua a transitar pelo signo de Capricórnio contribuindo para a tensão e o conflicto atrás descritos. Durante esta passagem faz conjunção a Plutão de 17 a 23 e quadratura a Úrano de 27 a 21. Procuramos agir para manter a autoridade e, na dificuldade em integrar a tensão, existe algo de implacável e austero na forma como o podemos fazer. Motivados pelo medo, agimos criando os obstáculos necessários à asfixia da boa vontade, impondo a ordem por meio da força e da violência.

O ciclo de lunação deste mês ocorre igualmente neste eixo cardeal com a Lua Nova do dia 1 de Outubro a 8º de Balança a fazer conjunção a Júpiter, e a Lua Cheia do dia 16 de Outubro a 23º de Carneiro a fazer conjunção a Úrano. Esta última acrescenta impacto a toda a tensão descrita anteriormente, sendo aqui que o conflicto atinge o seu pico e a tomada de Consciência é urgente.

A partir de 24 de Outubro, já o Sol e Mercúrio se encontram em Escorpião, e transitam conjuntos até ao final do mês. Aqui é altura para pensar nas “maçãs podres” que ainda contaminam a fruta do nosso pomar. Mas também permite-nos pensar em formas mais profundas de resolver os conflictos, em comunicar o que verdadeiramente nos preocupa e aflige a nossa Consciência. Desejavelmente temos a oportunidade de tomar Consciência das Mensagens que emergem, vindas do nosso inconsciente. Mas sobre este trânsito mais será desenvolvido em Novembro.

Entretanto, bom trabalho para Outubro.

(Source: Sapo)

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 The Mag Theme. Theme by MVP Themes, powered by Wordpress.

To Top